Ponto Turístico CRUZ FRONTEIRIÇO À MATRIZ DO BOM JESUS em TOUROS, Rio Grande do Norte » Costa das Dunas | Seu Pólo Turístico no RN

 

CRUZ FRONTEIRIÇO À MATRIZ DO BOM JESUS

CIDADE: TOUROS

Em fins do século XVII para início do século XVIII, dizia a população tourense (antigos moradores), que as águas do mar quando subiam chegavam até o patamar da Matriz que ainda estava em construção. Os moradores locais se assustavam e não tinham meios para impedir que as águas não viessem até o patamar.
O Frei Serafim de Catânea vindo de Caiçara do Norte para morar em Touros (hoje seus ossos estão na cidade de Bom Conselho/PE, na Capela do Colégio das Irmãs Franciscanas), sabendo da situação mandou buscar na Mata do Urubu em Santa Luzia (distrito de Touros), madeira para construir uma cruz, e chanta-la em frente à Matriz para afastar as águas. “Por força da fé e providência Divina as águas se afastaram”.

Fonte bibliografica:
» SEBRAE/RN - PRODER - Diagnóstico e Plano Estratégico de desenvolvimento do Município de Touros/RN. 1999, 71p.
» PATRIOTA, Nilson - Touros: uma cidade do Brasil: Departamento E. de Imprensa. 2000, 476p.

BORDER CROSS TO THE MOTHER OF BOM JESUS

CITY: TOUROS

"translated by google translator"
At the end of the 17th century to the beginning of the 18th century, the Tourense population (former residents) said that the rising waters of the sea reached the level of the Matrix that was still under construction. The locals were scared and had no means to prevent the waters from reaching the landing.
Friar Serafim de Catânea coming from Caiçara do Norte to live in Bulls (today his bones are in the city of Bom Conselho / PE, in the Chapel of the College of the Franciscan Sisters). Bulls), wood to build a cross, and blackmail it in front of the Matrix to ward off the waters. "By virtue of divine faith and providence the waters have departed."

Bibliographic source:
»SEBRAE / RN - PRODER - Diagnosis and Strategic Development Plan of the Municipality of Bulls / RN. 1999, 71p.
»PATRIOTA, Nilson - Bulls: a city of Brazil: Department of Press. 2000, 476p.